quarta-feira, 18 de maio de 2011

Notas Alvo, aproximações diatônicas e cromáticas.

Quando estamos cosntruindo uma frase, seja improvisando ou compondo , além da divisão rítmica das frases e das técnicas básicas como bends, slides, vibratos e ligados, devemos ficar atento à outros elementos para que nosso fraseado não seja um amontoado de notas sem sentido.
Antes porém de falarmos das Notas Alvos e das aproximações, vale aqui fazer um parênteses e lembrar que: Melodia e Harmonia estão intimamente ligadas, são complementares uma da outra. Não dá pra frasear sem levar em consideração o acorde que está sendo tocado naquele instante!!!
Isso é muito importante para se realizar um bom solo!!!
Muitos comentem o erro de apenas achar o centro tonal da progressão e saem “cuspindo notas” a torto e a direito achando que estão “inside” só porque estão no tom.
Para que as nossas frases tenham sentido, transmitam alguma coisa e, principalmente, trabalhem a favor da música devemos levar em consideração a utilização das Notas Alvos para darmos um tempero a mais no nosso fraseado.
As Notas Alvo serão as Notas que fecharão a nossa frase, aquelas na qual iremos repousar, descansar, finalizar a frase. Já que são essas notas que possuem sonoridade mais marcante dentro de uma frase.
Vamos imaginar a seguinte situação: Um improviso que será feito sobre a sequência C7+ - F7+ e G7.
Analisando a sequencia de modo “Macro” podemos definir que a tonalidade está em C Maior Jônio ( Natural). Muito bem!
Mas se apenas tocarmos a escala de C Maior, ou as possíveis Pentatônicas e Arpejos sobre a sequência, nem todas as notas soarão bem, pois temos que pensar que quando tocamos, estamos tocando “sobre” uma harmonia e que essa harmonia afeta nossas frases e vice versa.
O primeiro passo para acharmos nosssas Notas Alvos é identificarmos as Tríades e Tétrades de cada acorde da sequência. Então temos:
C7+ ( C – E – G – B)
F7+ ( F – A – C – E )
G7 ( G – B – D – F)
Muito bem, para cada acorde temos 4 Notas Alvo básicas, pois podemos também utilizar as extensões diatônicas à tonalidade como Notas Alvos, dependendo do clima e da sonoridade que queremos na frase.
Se tocarmos as notas C – E – G e B sobre o Acorde de C7+, essas notas soarão bem , soarão “inside” com o Acorde, não irão causar nenhum tipo de choque ou conflito, já que as mesmas pertence à formação do acorde. O mesmo acontecendo com as respectivas Notas Alvos dos demais acordes.
Mas como fazemos para chegar à essas Notas Alvos, já que não adianta ficar tocando apenas 4 notas durante todo o compasso.
Para isso utilizamos as Aproximações.
As aproximações são o “caminho” que percorremos até chegar nas nossas Notas Alvo.
Por exemplo: Se eu escolhi o nota E como Nota Alvo para a primeira frase sobre o Acorde de C7+, eu posso chegar até essa nota de diferentes maneiras ou com diferentes “aproximações”.
As aproximações mais usadas são:
1- Aproximação Diatônica Ascendente
2- Aproximação Diatônica Descendente
3- Aproximação Mista
4- Aproximação Cromática
5- Aproximação por Graus Conjunstos e
6- Aproximação por Graus Disjuntos


1- Aproximação Diatônica Ascendente – Na aproximação Diatônica Ascendente podemos utilizar qualquer nota “anterior” ao E (nossa nota alvo), dentro da tonalidade de C Maior, como ponto de partida para fazermos a aproximação. Por exemplo: podemos tocar as notas G, A, B, C, D e finalizarmos no E. Com isso estamos nos “aproximando” ascendentemente e diatônicamente da nossa nota alvo (E).

2- Aproximação Diatônica Descendente – Nessa aproximação fazemos o caminho inverso. Ou seja, saimos de qualquer nota posterior ao E e “caminhamos” descendentemente até o E. Por exemplo: tocamos as notas B, A, G, F para finalizarmos no E.


3- Aproximação Diatônica Mista – Nessa aproximação podemos fazer o caminho ascendente e descendente para chegarmos a nossa nota alvo. Podemos por exemplo tocar as notas A, G, C, D, e finalizamos no E. Repare que no primeiro movimento “andamos de forma” descendente e no segundo de forma ascendente.

4- Aproximação Cromática – Na aproximação Cromática utilizamos o cromatismo para chegarmos a nossa nota Alvo. A aproximaçao Cromática também pode ser: Ascendente, Descendente e Mista.

5- Aproximação por Graus Conjuntos – Podemos nos aproximar de nossa Nota Alvo , utilizando graus conjuntos, notas imediatas umas às outras, na “sequência” uma das outras. Podemos tocar as notas G-A , A-B, B-C, C-D, D-E de forma Ascendente e também de forma descendente, C-B, B-A, A-G, G-F, F-E.

6- Aproximação por Graus Dijuntos – Graus Disjuntos, são notas que não são imediatas umas as outras, são notas que possuem um intervalo, distância, entre elas. Vale aqui lembrar que nessa categoria de Aproximação entram os Arpejos, já que todo Arpejo (Triade ou Tétrade) é formado pela sobreposição se Terças. Nessa categoria então podemos fazer a aproximação de forma ascendente e descendente, utliznado instervalos de Terça, Quinta, Sexta, Sétima, Nona e etc. Ao utilizrmos os intervalos como aproximação por Graus Disjuntos, devemos levar em considerção as “extensões” possíveis para cada acorde, ou seja, os intervalos ditônicos a cada acorde.
Quando tocamos um Acorde de C, sabemos que são “extensões” diatônicas desse acorde a 6°, a 7M, a 9°, a 11°, e a 13°, pois estas notas pertencem à tonalidade e ao Campo Harmonico de C Maior Natural. Se tocarmos uma 11#, pr exemplo, já sairemos da Tonalidade de C Maior Jônio para tocarmos um intervalo pertencente à tonalidade de C Lídio.

Por fim, quando contruindo uma frase, cada nota tocada deve ter um sentido, um “porque”. Assim conseguimos criar sonoridades interessantes e ricas em nosso improvisos e solos. E é muito importante que além de utilizarmos as Notas Alvo e as Aproximações não nos esqueçamos das demais “ferramentas” como a divisão rítmica, a respiração, bend, slide, vibrato, ligado , tapping, etc, etc, etc.

Até a próxima!!

2 comentários:

victor costa disse...

Olá, amigo, material bem legal esse. Me diz uma coisa: lá na aproximação ascendente da aproximação diatônica, tem a nota A. por que? Vc não falou que seriam válidas somente as notas anteriores ao E? Desculpe o incômodo, sou apenas um iniciante. Mas desde já agradeço.

Igreja Batista 9 de Abril disse...

Descobri como usar este recurso com suas explicações...poucos aqui na Web explicam desta forma, é claro que é preciso um pouco de treino, mas para mim foi fantástico.